CLIQUE E ESCOLHA
SUA CIDADE

Cuidar da água e economizar um pouco todo dia faz a diferença!

A quantidade existente de água dos mananciais depende da quantidade de chuva que tivemos na região. Por isso, agora que entramos no período de seca, os mananciais ficam em estado de atenção de abastecimento, levantando a bandeira vermelha do uso consiente da água.

E fazer a sua parte pelo consumo consciente é a melhor maneira de ajudar para que ela não falte na torneira de casa.

Aqui, você encontra um panorama atualizado da situação hídrica na sua cidade, além de dicas de como economizar.

Vamos jogar juntos pela água?

Escolha sua cidade

Sumaré

Situação atual dos mananciais

A água que abastece os imóveis da cidade vem de rios, represas e poços. Cada município tem seus mananciais de captação e o nível deles dependem, invariavelmente, da quantidade de chuva que cai na região onde eles estão localizados. Abaixo, você vê qual a situação atual dos mananciais que abastecem a sua cidade.

Rio Atibaia

Nível atual: 1,53 m
Mínimo para captação: 1,20 m

Represa do Marcelo

58% da capacidade atual
Mínimo para captação: 38%

Horto I

79% da capacidade atual
Mínimo para captação: 64%

Horto II

76% da capacidade atual
Mínimo para captação: 62%

Índice pluviométrico dos últimos meses

25.5

Milímetros

Maio

29.7

Milímetros

Junho

7.6

Milímetros

Julho

2022 (janeiro a julho): 590 milímetros

!

O índice pluviométrico indica quanto choveu nos últimos meses.
A quantidade de chuva é um dos principais fatores que determinam o abastecimento dos mananciais, fontes naturais de água doce e a origem do líquido que abastece os reservatórios das cidades.

O que a BRK está fazendo para enfrentar a escassez de chuvas que afeta a disponibilidade de água nos mananciais da cidade?

Diante de seu compromisso com a população, a BRK já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental num cenário de estiagem. A empresa vem efetuando melhorias estruturais nas cidades do interior de São Paulo. Saiba quais são elas e como impactam no período de estiagem

Ampliação da reserva de água bruta com o desassoreamento da represa do Horto I. A medida visa aumentar a capacidade de armazenamento e melhorar a qualidade da água do manancial, responsável por enviar água bruta até a ETA I, localizada na Vila Menuzzo, que abastece 30% do município.

Redução e combate às perdas de água com um plano integrado e contínuo de ações que consiste na busca por vazamentos não visíveis, na pesquisa e fiscalização das ligações de água nos imóveis, na setorização das regiões de abastecimento, na instalação de válvulas reguladoras de pressão, na renovação e substituição das tubulações de água (redes e adutoras), na atualização do cadastro técnico, na renovação do parque de hidrômetros e substituição de ligações antigas.

Melhorias em processos para manter a qualidade da água com a implantação de um sistema de hipoclorito de sódio na captação do Horto I e um sistema de dióxido de cloro na Estação de Tratamento de Água (ETA) I. Os novos sistemas se encontram em uso e têm sido fundamentais para manter a qualidade da água distribuída durante os meses mais secos, quando a água bruta dos mananciais tende a ser inferior.

Santa Gertrudes

Situação atual dos mananciais

A água que abastece os imóveis da cidade vem de rios, represas e poços. Cada município tem seus mananciais de captação e o nível deles dependem, invariavelmente, da quantidade de chuva que cai na região onde eles estão localizados. Abaixo, você vê qual a situação atual dos mananciais que abastecem a sua cidade.

Córrego Santa Gertrudes

51% da capacidade atual

Poços

Nível atual: –
Mínimo para captação: 5m de profundidade

Índice pluviométrico dos últimos meses

34

Milímetros

Maio

18

Milímetros

Junho

0

Milímetros

Julho

2022 (janeiro a julho): 582 milímetros

!

O índice pluviométrico indica quanto choveu nos últimos meses.
A quantidade de chuva é um dos principais fatores que determinam o abastecimento dos mananciais, fontes naturais de água doce e a origem do líquido que abastece os reservatórios das cidades.

O que a BRK está fazendo para enfrentar a escassez de chuvas que afeta a disponibilidade de água nos mananciais da cidade?

Diante de seu compromisso com a população, a BRK já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental num cenário de estiagem. A empresa vem efetuando melhorias estruturais nas cidades do interior de São Paulo. Saiba quais são elas e como impactam no período de estiagem

Ampliação da reserva de água tratada com a programação do início de operação de um novo reservatório na região do bairro Bom Sucesso. Unidade com capacidade para 450 mil litros, que irá aumentar em 18% a oferta de água para o município.

Melhorias em processos para manter a qualidade da água com a programação da troca do meio filtrante utilizado nos filtros da Estação de Tratamento de Água (ETA) e aquisição de um novo sistema de dosagem de alcalinizante para aperfeiçoar o sistema de tratamento de água adotado no município.

Redução e combate às perdas de água​ com aprimoramento do sistema de controle que envolve renovação e troca das tubulações de água, setorização das regiões de abastecimento, substituição de hidrômetros antigos por aparelhos mais novos e modernos e ações contínuas de busca por vazamentos não visíveis.

Limeira

Situação atual dos mananciais

A água que abastece os imóveis da cidade vem de rios, represas e poços. Cada município tem seus mananciais de captação e o nível deles dependem, invariavelmente, da quantidade de chuva que cai na região onde eles estão localizados. Abaixo, você vê qual a situação atual dos mananciais que abastecem a sua cidade.

Rio Jaguari

Vazão atual: 4,0 m³/s
Mínima para captação: 1,0 m³/s

Ribeirão Pinhal

65% da capacidade atual
na barragem Salto do Lobo
Mínimo para captação: 60%

Índice pluviométrico dos últimos meses

32

Milímetros

Maio

13

Milímetros

Junho

0

Milímetros

Julho

2022 (janeiro a julho): 658 milímetros

!

O índice pluviométrico indica quanto choveu nos últimos meses.
A quantidade de chuva é um dos principais fatores que determinam o abastecimento dos mananciais, fontes naturais de água doce e a origem do líquido que abastece os reservatórios das cidades.

O que a BRK está fazendo para enfrentar a escassez de chuvas que afeta a disponibilidade de água nos mananciais da cidade?

Diante de seu compromisso com a população, a BRK já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental num cenário de estiagem. A empresa vem efetuando melhorias estruturais nas cidades do interior de São Paulo. Saiba quais são elas e como impactam no período de estiagem

Melhorias em processos para manter a qualidade da água com instalação de medidor de nível na represa Salto do Lobo – reserva estratégica para o abastecimento do município, e novo sistema de monitoramento contínuo de amônia na chegada da água bruta na Estação de Tratamento de Água (ETA). Além do sistema de hipoclorito de sódio na captação do rio Jaguari e ETA, instalado em 2021, sendo fundamental para manter a qualidade da água durante os meses mais secos, quando a água bruta captada nos mananciais tende a ser inferior.

Adequações na unidade de captação de água com a limpeza dos canais de água bruta e da comporta de entrada dos mananciais, removendo bancos de areia. Sifões também já estão preparados para serem instalados na represa Salto do Lobo, para uso em caso de necessidade.

Aumento da capacidade de reserva de água tratada com a revitalização da Estação Elevatória de Água (EEA) Gino, responsável pelo abastecimento de 25 mil moradores de 36 bairros da região noroeste da cidade, e a construção de um novo reservatório metálico com capacidade para armazenar 1.500m³ de água, aumentando em 40% a reserva de água da unidade; além de um novo reservatório na região da Fazenda Itapema.

Redução e combate às perdas de água com um um plano integrado e contínuo de ações que consiste na busca por vazamentos invisíveis, na pesquisa e fiscalização de fraudes e irregularidades com mais de 3,6 mil vistorias já realizadas no primeiro semestre, na criação de novas zonas de macromedição, na renovação do parque de hidrômetros com a substituição de 10,4 mil equipamentos de medição no primeiro semestre e com a renovação e substituição das tubulações de água (redes e adutoras), sendo já executada a troca de quatro quilômetros e de 439 ramais de ligação de água no ano.

Mairinque

Situação atual dos mananciais

A água que abastece os imóveis da cidade vem de rios, represas e poços. Cada município tem seus mananciais de captação e o nível deles dependem, invariavelmente, da quantidade de chuva que cai na região onde eles estão localizados. Abaixo, você vê qual a situação atual dos mananciais que abastecem a sua cidade.

Manancial Fiscal

Nível atual: 1,19 m
Mínimo para captação: 1,70 m

Manancial Carvalhal

Nível atual: 1,41 m
Mínimo para captação: 1,70 m

Poços

Nível atual: 35,0m de profundidade
Mínimo para captação: 60,0m de profundidade

Índice pluviométrico dos últimos meses

43

Milímetros

Maio

38

Milímetros

Junho

9.3

Milímetros

Julho

2022 (janeiro a julho): 573 milímetros

!

O índice pluviométrico indica quanto choveu nos últimos meses.
A quantidade de chuva é um dos principais fatores que determinam o abastecimento dos mananciais, fontes naturais de água doce e a origem do líquido que abastece os reservatórios das cidades.

O que a BRK / SANEAQUA está fazendo para enfrentar a escassez de chuvas que afeta a disponibilidade de água nos mananciais da cidade?

Diante de seu compromisso com a população, a BRK já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental num cenário de estiagem. A empresa vem efetuando melhorias estruturais nas cidades do interior de São Paulo. Saiba quais são elas e como impactam no período de estiagem

Ampliação da capacidade de captação de água com a perfuração de um novo poço em Dona Catarina, beneficiando mais de 554 famílias que residem na região. Atualmente, essa localização é abastecida pelo por um poço (P18) que alimenta o reservatório Dona Catarina (R26). Com o novo poço a ser perfurado, a estimativa é aumentar em 55% a oferta de água.

Obras para implantação de uma adutora com 2.800 metros de extensão e 110 milímetros de diâmetro, que vai interligar o novo poço da região de Dona Catarina ao sistema de distribuição de água já existente.

Redução e combate às perdas de água com busca por vazamentos com um plano integrado de ações que consiste na busca por vazamentos não visíveis, setorização das regiões de abastecimento, instalação de válvulas reguladoras de pressão, renovação e substituição das tubulações de água (redes e adutoras), atualização do cadastro técnico, renovação do parque de hidrômetros e substituição de ligações antigas.

Porto Ferreira

Situação atual dos mananciais

A água que abastece os imóveis da cidade vem de rios, represas e poços. Cada município tem seus mananciais de captação e o nível deles dependem, invariavelmente, da quantidade de chuva que cai na região onde eles estão localizados. Abaixo, você vê qual a situação atual dos mananciais que abastecem a sua cidade.

Rio Mogi Guaçu

Nível atual: 0,73 m
Mínimo para captação: 0,50 m

Índice pluviométrico dos últimos meses

16.5

Milímetros

Maio

5

Milímetros

Junho

0

Milímetros

Julho

2022 (janeiro a julho): 808 milímetros

!

O índice pluviométrico indica quanto choveu nos últimos meses.
A quantidade de chuva é um dos principais fatores que determinam o abastecimento dos mananciais, fontes naturais de água doce e a origem do líquido que abastece os reservatórios das cidades.

O que a BRK está fazendo para enfrentar a escassez de chuvas que afeta a disponibilidade de água nos mananciais da cidade?

Diante de seu compromisso com a população, a BRK já colocou em prática ações preventivas de um plano de contingência, com objetivo de se antecipar com medidas que têm papel fundamental num cenário de estiagem. A empresa vem efetuando melhorias estruturais nas cidades do interior de São Paulo. Saiba quais são elas e como impactam no período de estiagem

Redução e combate às perdas de água com pesquisa por vazamentos invisíveis, monitoramento de pressão da água, setorização das regiões de abastecimento, instalação de válvulas reguladoras de pressão, instalação de macromedidores, troca de redes antigas por novas, implantação de cadastro técnico, substituição de hidrômetros antigos por aparelhos mais novos e modernos, substituição de ligações antigas e medição de descargas preventivas.
Adequações na unidade de captação de água​ com a manutenção de comporta e desenvolvimento de projeto hidráulico de uma bomba suplementar no sistema de captação do rio Mogi Guaçu.
Melhorias em todo o sistema de água do município pela execução de modelagem hidráulica, uma importante ferramenta no dimensionamento e operação de redes de distribuição de água. Esse trabalho envolve o monitoramento e estudo de todas as unidades operacionais, numa análise em conjunto com a demanda populacional e topografia do município, em uma série de parâmetros variáveis que permitem um diagnóstico preciso para a gestão do sistema de abastecimento e definição das estruturas e investimentos futuros.

COMO ECONOMIZAR ÁGUA?

Quando a chuva é pouca, toda gota de água conta.
Algumas pequenas atitudes no dia a dia podem evitar o desperdício de água.
Vamos colocá-las em prática?

Cada gota conta

Uma torneira pingando pode somar uma grande quantidade de água. Trocar a borracha que fica dentro dela costuma resolver o pinga-pinga.

De olho em vazamentos

Eles podem estar por dentro das paredes, mas existem maneiras eficazes de descobrir sem quebrá-las. A melhor é checar os ponteiros e números do seu hidrômetro.

Troque pelo balde

Para lavar o carro ou o quintal e economizar 18 litros a cada um minuto, use um balde com água em vez da mangueira.

Feche a torneira

Ao escovar os dentes, lavar a louça e lavar roupas na mão, feche a torneira enquanto não estiver enxaguando. É uma economia e tanto!

Banho em 5 minutos

Sabia que um chuveiro aberto gasta 16 litros de água por minuto? Procure tomar banhos curtos e se ensaboar com a torneira fechada. Cinco minutos são o suficiente.

Reutilize nas tarefas domésticas

A água da sua máquina de lavar pode ser usada para outras tarefas: lavar o chão da área de serviço, do banheiro, da varanda e do quintal.